terça-feira, 18 de maio de 2010

- Já vi: Everything is Illuminated (2005)

everything_is_illuminated

Everything is Illuminated – Tudo está Iluminado

The commencement of a very rigid search.

Everything is Illuminated marca o primeiro trabalho de Liev Schreiber como realizador. E, antes de mais, devo dizer que foi um início perfeito.

Tudo está iluminado abraça-nos com a história de Jonathan Foer (Escolha acertada em Elijah Wood), um rapaz pouco normal que colecciona coisas, coisas da família, mais concretamente. Assim, quando recebe uma foto do seu avô com uma mulher que foi responsável pela extradição do seu avô para os EUA, Jonfen (como o Ucraniano amigo lhe chamava) parte rumo à Ucrânia a fim de descobrir essa tal mulher e, consigo, terá a ajuda de Alex (Eugene Hutz), um tradutor que não facilita a viagem e o seu avô que insano que se julga cego mas, curiosamente, é ele que conduz o carro ao longo daquela atribulada e peculiar viagem.

Everything is Illuminated não marca uma posição, aliás, é um daqueles filmes vívidos, coloridos que possuem uma bela história e um grande lema de vida. Pois enganam-se. Se por um lado o filme é uma fonte de irradiação fascinante e colorida, por outro, assume-se como uma obra de humor negra, profundamente crítica e com poucos sentimentos redondantes de felicidade.

Por dois lados, Everything is Illuminated assume-se como uma obra única tanto peculiar como fascinante.

A película também ela é arrojada em inúmeros aspectos. Temos uma câmara interventiva, bastante manuseante e esplêndida que nos nutre com momentos únicos numa perfeita sincronia com uma das melhores bandas sonoras que alguma vez ouvi. Não sei se foi pela sua simplicidade, se foi pela sua sincronia com a câmara ou com a sua enorme qualidade irrefutável e aprazível, a sonoplastia deste filme abraça-nos e toca no nosso coração.

Por outro lado, temos uma fotografia iluminada que emana estilo e beleza, beleza esta que se sente nas performances de Elijah Wood e Eugene Hutz que formam uma dupla com química e sem química, amigos e não amigos, mas únicos na fórmula que torna este filme tão belo e genial.

Sucintamente, Everything is Illuminated faz jus ao nome e torna-se um filme iluminado e inspirador pela genialidade envolvida em todos os aspectos maravilhosamente sincronizados, com uma sonoplastia que nos abraça no decorrer de uma jornada que perdurará na nossa mente.

 

everything_is_illuminated

3 comentários:

Marcelo Pereira disse...

Sim, um excelente filme, sem dúvida. Gostei muito da química entre Wood e Hutz, também.

Abraço

Nekas disse...

Marcelo, a química é evidente.

Abraço

Anónimo disse...

Изумительная идея, как долго ожидать поступление новенького материала и вообщем стоит ожидать ?