terça-feira, 29 de junho de 2010

- The boy in the striped pajamas (2008)

boy_in_the_striped_pajamas

The Boy in the Striped Pajamas – O Rapaz do pijama às riscas

No seio do Nazismo, Bruno (Asa Butterfield) cresceu. Durante a Segunda Guerra Mundial, Bruno viveu, isolado dos problemas que o mundo enfrentava embora o seu pai fosse um comandante nazista (David Thewlis). Com a promoção deste último, Bruno desloca-se para um novo sítio fora da cidade onde morava, fora de um mundo à parte, e, agora, desloca-se para o campo. Lá, descobre novas pessoas e crianças para brincar mas acha-os esquisitos por usarem pijamas às riscas mas, na verdade, essas pessoas são judeus que vivem no campo de concentração. Então, Bruno sem nunca perceber totalmente aquele mundo estabelece amizade com um rapaz judeu.

 

O Rapaz do pijama às riscas prima pela simplicidade e ingenuidade de Bruno e pela amizade dos dois rapazes. Só na ingenuidade do argumento e na falta de uma linha narrativa mais forte, o filme encontra um mal maior.

Depois, o elenco está muito bem organizado com nomes desconhecidos como o de Bruno no meio de nomes conhecidos como Vera Farmiga e David Thewlis. Esta mistura também dá ao filme um intermédio entre um mainstream e um indie com alguns momentos de ambos mas, a meu ver, John Boyne, o escritor deste bestseller, ficou contente com o resultado e, todos nós, ficamos rendidos com um final que nos deixa sem palavras e de boca aberta.

the boy in the striped pajama

12 comentários:

Roberto F. A. Simões disse...

Concordo. O final é destroçante... Um bom filme, sem dúvida. 4*

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

Nekas disse...

Roberto, é um bom filme e o final fabuloso.

Abraço

Dora disse...

Bom, bom, bom, bom! Adorei!
Mais nada a dizer...

Nekas disse...

Dora, é mesmo um bom filme.

Abraço

Tiago Ramos disse...

O Rapaz do Pijama às Riscas prima pela simplicidade, lado emocional e ingénuo do argumento. E depois tem excelentes interpretações! Simples e bom, como deve ser!

Nekas disse...

Tiago, é mesmo simples e bom!

Abraço

Tiago Britto disse...

Gostei muito desse filme, assisti e logo depois vi que era baseado em um livro...gostaria de ter lido tambem. abs

www.cinemadetalhado.blogspot.com

Pedro Henrique disse...

Filme destroçante. Acaba com qualquer coração. Ah, mas o nazismo não existe, segundo nosso querido presidente iraniano.

chiclas disse...

Ainda não vi o filme, mas já li o livro... está na minha lista de must see!

Nekas disse...

Tiago, ainda não li o livro mas dizem que vale a pena.

Pedro, o que o nazismo fez ao mundo foi catastrófico, o filme serviu-se de dois peões e mostrou o lado afectivo pois, afinal, somos todos pessoas com sentimentos.

Chiclas, acho que é um bom suplemento ao livro.


Abraços

Stella Halley disse...

Bruno, ainda gostei mais do que você gostou. No meu entusiasmo dei 9 para o filme.

Nekas disse...

Stella, vai das pessoas, fico contente que tenhas gostado tanto.

Abraço