sábado, 26 de junho de 2010

- Taxi Driver (1976)

dfmp_0046_taxidriver_1976

Taxi Driver

Mais um monótono dia é riscado do calendário. Travis (Robert DeNiro) é um taxista em Nova Iorque que vive trabalhando e sente-se solitário e enojado perante uma cidade repleta de lixo (de acordo com o filme, entende-se por lixo os criminosos, os ladrões, os drogados, as prostitutas, etc.). Então, Travis decide socializar-se e, por fim, tentar fazer justiça pelas próprias mãos na cidade que nunca dorme.

 

Em Taxi Driver,  Martin Scorsese faz do táxi é o veículo do filme, literalmente. Através dele, Travis deambula pelas ruas e descobre o móbil de todo o filme. Mas o que torna este filme a obra-prima que tanto proclamam? Bem, uma das respostas, seria a sua irrepreensibilidade. A esforçada câmara, a perturbante banda sonora,  o cuidade do mise en scène, o leque de actores e, por fim, o argumento.

 

Recuperando o parágrafo anterior, realço o leque dos actores. Robert DeNiro num registo sublime e notável, Jodie Foster promissora e um pequeno mas forte papel de Harvey Keitel, tudo isto no mesmo filme. Depois, o argumento. Este, com uma forte linha narrativa que suporta um storytelling inovador, é neste mesmo que surge a pequena falha que não deixa este filme ser uma obra-prima por completa. Surge, a meu ver, uma falha na construção narrativa que deixa em aberto vários momentos do filme mas, de resto, uma obra-prima absoluta. O melhor de Martin Scorsese.

 

Depois, Taxi Driver possui uma veia filosófica que recai na personagem principal e que nos reflecte sobre um dos maiores e piores problemas do mundo – a solidão. Além da solidão, a personagem de Travis encarrega-se de assumir as personagens da sociedade que se sentem revoltadas com esta mesmo mas não agem. Sucintamente, Taxi Driver assume os maiores problemas do mundo numa só pessoa e este trabalho assume-se, a meu ver, como o melhor de Martin Scorsese.

 

“All the animals come out at night - whores, skunk pussies, buggers, queens, fairies, dopers, junkies, sick, venal. Someday a real rain will come and wash all this scum off the streets. I go all over. I take people to the Bronx, Brooklyn, I take 'em to Harlem. I don't care. Don't make no difference to me. It does to some. Some won't even take spooks. Don't make no difference to me.”

 

taxi-driver2

19 comentários:

Roberto F. A. Simões disse...

Excelente nota para um excelente filme! Um dos meus preferidos de Scorsese, ao lado de TOURO ENRAIVECIDO e O AVIADOR.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

Nekas disse...

Roberto, também é um dos meus preferidos ao lado de Raging Bull.

Abraço

Dora disse...

Epá eu agora assustei-me...pensei que também ias dizer que o "Taxi Driver" era fraquinho...como disse o nosso colega sobre o "Goodfellas"...

Nekas, gosto muito do grafismo da tua página mas permite-me uma sugestão: ao escreveres, não consegues justificar o texto? Ficava direitinho e muito fixe! (coisas de gaja!)

DiogoF. disse...

Profundo e brilhante. Um retrato negro, suavemente perturbante e reflexivo sobre a solidão (eterna - como interpretei a cena final).

Jackie Brown disse...

Dora, por acaso estás com azar porque também não gosto deste Taxi Driver. Suponho que ainda era muito imaturo, pelo que preciso (embora não me apeteça) de o rever.

O meu preferido de Scorsese continua a ser Gangs de Nova Iorque, seguido de perto pelo O Aviador.

Mas obrigado pela referência ;)

Dora disse...

Não faz mal, Jackie. Gosto de ti na mesma! :-)

Nekas disse...

Dora, fico com a tua sugestão para os próximos posts.

O filme é mesmo profundo e brilhante, um retrato fidedigno da solidão.

Rui, eu sei que tu não és muito fã de Scorsese, mas revê.

Abraços

Flávio Gonçalves disse...

Sim, depois de o Touro Enraivecido, este Taxi Driver é o meu preferido. Grande Scorsese.

Jackie Brown disse...

Não é bem assim. Temos uma relação (xD) estranha. Gosto muito de algum Scorsese e muito pouco de outro.

GNY, Aviador são filmes que adorei.

The Departed, Goodfellas acho sobrevalorizados. E esses já vi com olhos de ver e estou convicto da minha opinião.

Quanto a TD, ainda dou o benefício da dúvida.

Já agora Bruno, qual é o teu preferido de Scorsese? :D

Nekas disse...

Flávio, também este é um dos meus preferidos.


Rui, já vi quase toda a filmografia de Scorsese mas não os vi todos com olhos de ver. Dos que vi com olhos de ver, o meu preferido é este mas, no entanto, já vi o goodfellas e GNY em pequeno e gostei imenso mas não sei se a minha opinião se mantém mas quando rever eu digo qualquer coisa.

Abraços

Mateus Souza disse...

Um clássico da Nova Hollywood. Gosto bastante, apesar de achar que possui alguns problemas de narrativa.

A cena do espelho é uma das mais conhecidas do cinema - em Kick Ass tem uma bem parecida, uma clara homenagem.

Abraço.

Nekas disse...

Mateus, eu gostei imenso.

Até no Alvin e os Esquilos prestam homenagem a essa memorável cena.

Abraço

Bruno Duarte disse...

Um dos melhores filmes que vi até hoje. A nota que deste condiz na perfeição.

Abraço.
http://vidadosmeusfilmes.blogspot.com/

Nekas disse...

Bruno, é mesmo um excelente filme.

Abraço

Catarina Norte disse...

Excelente, excelente filme! Sublimemente perturbador, com uma magnética interpretação de Robert de Niro!
Um dos meus preferidos de Scorcese, a par de Gangs of New York e Aviador (ainda não vi o Raging Bull nem o Goodfellas :(

Nekas disse...

Catarina, concordo com tudo da primeira frase. Quanto à segunda, GONY é muito bom mas já não me lembro muito mas posso garantir que Raging Bull e Goodfellas são obras imperdíveis!


Abraço

Pedro Henrique disse...

Meu Scorsese preferido. Obra-prima incontestável dos anos de rebeldia da Nova Hollywood.

Nekas disse...

Pedro, concordo menos na parte do melhor de Scorsese, ainda tenho de rever outras obras.

Abraço

Nun0B. disse...

É bem capaz de ser o meu filme preferido. Brilhante em todos os campos.

Great Review!

Cumps.