segunda-feira, 21 de junho de 2010

- Hard Candy (2005)

hard_candy_xlg

Hard Candy

O título traduzido à letra para português, Doce Duro (ainda bem que mantiveram o título inglês) indica, provavelmente, o que este filme decapita durante o seu seguimento. Temos duas personagens, uma rapariga menor e um fotógrafo. Mantinham contacto pela internet até que um dia decidem encontrar-se e, durante o encontro, trocam palavras e, consequentemente, dirigem-se para casa do fotógrafo. Agora, é lá que toda a acção peculiar decorrerá.

 

Perante a sinopse, pensamos nós que é o típico violador que irá ferir aquela pobre menina inocente. E se for, em parte, o inverso? E se for a menina inocente que irá ferir o típico violador? Quem é o predador e quem é a presa? Quem é o inocente e quem é o culpado?

 

Hard Candy tem a potência (e talento) de nos pregar a tal obra nunca antes vista. Fora de todos os paradigmas vistos, o filme dá-se por fundos simples onde o que verdadeiramente sobressai é a storytelling. Única e original.

As personagens, são esmiuçadas, Patrick Wilson é facetado com sofrimento enquanto a formidável Ellen Page, num registo inefável, é nutrida de toda a repugnância, âmago, inocência e até justiça perante uma sociedade.

E se o filme mostra uma banda sonora corajosa, uma direcção artística que adequa-nos Page como um capuchinho vermelho contemporâneo, inevitavelmente, o filme rege-se mesmo em prol das interpretações e do jogo psicótico inverso que nos leva a acreditar e “descreditar”.

Enfim, ficamos com a ligeira sensação, quem é o predador e quem é a presa, quem é o inocente e quem é o culpado?

 

Hard-Candy-movie-lg01

13 comentários:

Bruno Duarte disse...

Em primeiro lugar deixa-me dar-te os parabéns pela tua capacidade de síntese. Disseste em poucas palavras aquilo que o filme representa.

Depois queria apenas dizer que este é um filme fabuloso, que brinca com a nossa psique e nos confunde a noção de certo e errado.

É por este tipo de filmes que eu amo cinema e é isto que transforma cinema numa arte.

Abraço.
http://vidadosmeusfilmes.blogspot.com/

João Bastos disse...

Este filme é fabuloso! Foi a partir desta interpretaçao que passei a achar ElleN Page como talvez a melhor actriz da sua geração! Muito bem!

Marcelo Pereira disse...

Lá está, como acabei na minha crítica também: Quem é o predador, quem é a presa? Ellen Page está de facto, sublime. Uma interpretação absolutamente icónica e brilhante, assim como a de Patrick Wilson, que também está muito bem. Mas que (pequeno) grande filme!

Abraço

Dora disse...

Este filme é muito bom. Está no meu top 10. Adoro a forogtafia do filme. Muito fixe!

Nekas disse...

Bruno, antes de mais, obrigado.
Quanto ao filme é mesmo esse propósito que suscita(e responde) à questão do cinema - O que é? Bem, a resposta dá-se em filmes como este - Cinema é arte.

Ainda foi o primeiro filme que vi de Ellen Page João mas, já ouvi falar muito bem dela.

Abraços

Dora disse...

Olha o que escrevi sobre ele em 2007.

http://sixdegreeesofseparation.blogspot.com/2007/03/267-hard-candy.html

Nekas disse...

É verdade Marcelo - Mas que (pequeno) grande filme!

Dora, tecnicamente quase irrepreensível, Hard Candy é nas interpretações e no argumento que, a meu ver, encontra os seus ponto-chave.

Abraços

Hugo disse...

O filme toca em temas polêmicos como desaparecimento de menores, pedofília e tortura, com cenas angustiantes.

Ótimo desempenho de Ellen Page.

Abraço

Nekas disse...

Hugo, de acordo!


Abraço

Leca disse...

Obrigada...
pelas gentilezas deixadas
por você lá no meu blog...
Depois de longa ausência...
voltei...
Beijos floridos e belos...
Leca

Adoro esse filme...
Aqui no Brasil...o título é...
Menina Má.com

Nekas disse...

Leca bom regresso.


Abraço

Stella Halley disse...

O título no Brasil não foi muito feliz, acho eu. Sempre que possível evita-se estragar surpresas do enredo. Bom filme.

Nekas disse...

Stella, o título em inglês de Menina má. com estraga toda a surpresa que o filme oferece...


Abraço