sábado, 6 de fevereiro de 2010

- Já vi: Kill Bill Vol.1

Kill Bill Vol.1
 Quantin Tarantino "apareceu" em 1992 com Resevoir Dogs. Mal nós sabíamos que com o passar dos anos o realizador/argumentista ganhou um acréscimo de popularidade e tornou-se um dos mais geniais realizadores da época contemporânea.
Mas quando muitos afirmam a sua genialidade, eu afirmo a sua versatilidade. Este cineasta cria, passo a passo, sempre novas obras mas sempre com os seus traços. Tarantino cria assim um Cinema tarantinesco e da sua filmografia obtemos filmes diversamente diferenciados dos quais obtemos homens contratados para um assassínio (resevoir dogs) por outro encontramos uma história da III Reich completamente paralela à história do Holocausto (Inglourious Basterds crítica aqui) e, ainda por outro lado, encontramos uma obra sua de uma vingança (Kill Bill).

É dessa vingança que vos venho falar. Kill Bill é, como o nome explicita, o "matar Bill" (felizmente não traduziram o título para português).
Assim seguimos uma mulher (Uma Thurman) e toda a jornada de vingança que irá destronar um grupo de assassinos que extreminaram a sua família e tantaram-na matar. Agora, a mulher (não sabemos o nome) irá ter que os assassinar a todos pela sua prometida vingança.

Uau! Vi este filme com 9 anos no Cinema e não gostei muito. Fiquei chocado com o sangue mas agora vejo este filme com "olhos de ver". Vejo uma obra de arte ou, pelo menos, um pedaço dela. 
Quem é que raio se iria lembrar de incluir um cena Anime num filme??? Único, genial mas a parte mais marcante é mesmo o prólogo, a preto e branco, a falar do sadismo e com uma bala a ser disparada marca, logo no ínicio, uma obra-prima.
Se esta cena está genial, o resto do filme não lhe fica atrás. 
As interpretações mostram-se excelentes, especialmente da protagonista, a banda sonora genial, com a sua balada e música intro "Bang Bang" completam a cereja no topo do bolo. 

Tarantino revelou-se, novamente, um mestre atrás das câmaras. Como célebre realizador e argumentista, aquele que respondeu à pergunta "Em que escola aprendeu a fazer filmes?" e ele respondeu "Eu não andei numa escola de Cinema, eu fui ao Cinema".
Assim, arrisco-me dizer que esta é a melhor obra de Tarantino mas da década! 
Pulp Fiction continua a ser o meu preferido deste genial e versátil realizador/argumentista.

Kill Bill resume-se em simples palavras - Único e Genial com "U" e "G" em maiúsculo. Mas é muito mais que isto.
Kill Bill é, igualmente, uma fábula, uma fábula do não-perdão e perdão e, principalmente, da vingança. Vingança esta que logo no ínicio diz-se como de serve, friamente.

Tagline: "Nine people died that day. it should have been ten."
 
  

17 comentários:

Flávio Gonçalves disse...

É uma obra-prima, o meu preferido de Tarantino a par do Sacanas sem Lei.

Fico à espera do texto ;)

Abraço!

Tiago Ramos disse...

É mesmo o meu preferido de Tarantino! LINDO! :)

Gema disse...

O meu fvorito de Quentin Tarantino ;)
É simplesmente genial :P
Bjs

AlexSupertramp disse...

Um excelente filme, fico à espera da crítica!

Abraço

Daniel S. Silva disse...

Excelente filme.

Não é o meu favorito de Tarantino, mas é sem dúvida mais uma das obras que acentua o seu estilo ímpar e inimitável. Aguardo a crítica :)

Abraço!

CINE31 disse...

O meu favorito do Sr. Tarantino, porque é de um género que me diz mais do que o resto da sua filmografia.

Nekas disse...

Flávio, o texto está pronto.
Quanto ao favoritismo, ainda prefiro Pulp Fiction...

Tiago, já sabia da tua prefrência. Agora já o vejo com outra posição mas não é o meu preferido!

Gema, é genial!

Alex, está pronta!

Daniel, também não é o meu preferido mas sem dúvidas que é uma obra Única e Genial...

Cine31, a sua filmografia é bastante diversificada e o que agrada a uns não agrada a outros. Este é genial.

Abraços

Jackie Brown disse...

É um bom filme, sim.
Pessoalmente, achei-o demasiado violento, e prefiro claramente o segundo.

Mas tem Tarantino all over it!

Abraço

Jackson disse...

Gosto bastante do título, e não entendo como preferes o Pulp Fiction, essa obra fraquíssima! :p

Abraço

Jackson disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nekas disse...

Rui, eu gostei, particularmente, da violência.

Jackson, são opiniões :p

Abraços

João Bastos disse...

Numa palavra: "Genial".

Não importa se é ou nao o meu favorito de Tarantino (continua a ser tambem o Pulp Fiction), mas isto é ARTE!

Nekas disse...

João, Arte! e ponto final

Abraço

Nasp disse...

Eu vi este filme logo na estreia por isso eu tinha 28 anos e sai do cinema perfeitamente euforico com o que tinha acabado de ver, até sai a cantarolar as musicas da banda sonora :)

A par do Pulp Fiction são os meus preferidos de Tarantino. Arte Pura, num filme que acaba por ser mais do meu genero que os restantes de Tarantino....

No entanto é um filme também ele "cliche" só que depois moldado a arte Tarantinesca :)

Fifeco (Filipe Ferraz Coutinho) disse...

Fenomenal esta fita. É a minha segunda obra favorita do realizador, após Pulp Fiction tal e qual como tu. Gostei particularmente da originalidade com que se desenvolve. Aquelas passagens para preto e branco são fenomenais assim como a passagem para o mundo Anime.

Abraço

Nekas disse...

Nasp, eu também vi-o no Cinema mas tinha 9 anos e saí de lá um pouco transtornado mas com um certo apreço pelo filme!

Hoje apreci-o como arte e os seus "clichés" são tarantinescos e estão lá porque ele quer!

Arte!

Abraço

Nekas disse...

Filipe, partilhamos do mesmo top do Tarantino!


As passagens a preto e branco e o Anime são um pouco do que é uma obra repleta de espectacularidade!

A originalidade é fantástica, é Arte!

Abraço