quarta-feira, 7 de abril de 2010

- Especial Grindhouse (2007): Planet Terror

Planet Terror – Planeta Terror

E o segundo filme do Especial Grindhouse é Planet Terror, escrito e realizado por Robert Rodriguez. O filme é um típico filme série-b, do início ao fim. Logo a começar numa simples história de um grupo de soldados que ficou infectado com um vírus e a única forma de encontrar o antídoto é infectar o mundo inteiro a fim de encontrar aqueles que são imunes à doença e, eventualmente, descobrir a cura. Enquanto isso, essa infecção torna as pessoas em quase zombies com o corpo cheio de bolhas e canibais. Assim, numa pequena vila, os sobreviventes terão que lutar pela sobrevivência e parar o grupo de soldados de infectar o resto do mundo.

História simples. Interpretações fraquinhas. Mortes e mortes. Falta de realismo. Filme série-b. Cinema Grindhouse. Planeta Terror!

Logo pelo poster compreendemos a falta de realismo que eu escrevi anteriormente. O filme limita-se a matar os tais monstros e a (tentar) dizer frases memoráveis no meio de clichés cinematográficos com as típicas linhas negativas e mudanças de rolo!

 

Aliás, um pequeno pormenor, a mulher do poster com a arma na perna anda o filme todo a trocar de arma na perna e, às vezes, aparece com a perna intacta após ter ficado sem ela! De resto, hilariante mas exagerado!

A Frase: “Don't shoot yourself. Don't shoot each other. And especially... don't shoot me.”

grindhouse22

4 comentários:

ArmPauloFerreira disse...

Vais me desculpar a opinião mas dos dois, só o Rodriguez é que entendeu na perfeição isto, ou melhor, mostrou como se faz um filme puro serie-B ao antigo estilo Grindhouse. Para mim, é o tomo de Rodriguez quem honra o género (está lá tudo -parece um manual até).

Aliás, tudo o que ele fez até então são isso mesmo: Filmes serie B de grande categoria dentro do estilo e pelo caminho ainda vai inovando.
Não fosse a obessessão de Rodriguez a "dobrar" a tecnologia mais acessivel (udsando-a como se fosse a mais cara) para mais filmes poder fazer no género e hoje ainda não teriamos a ideia de génio que ele teve para o Sin City (depois deste foi só aplicar o conceito noutros - o Zack Snyder que o diga... 300 + Watchmen).
Ele anda sempre a arrastar o Tarantino aos brilharetes que descobre e desenvolve.

Muito honestamente este é o tomo mais puro do Grindhouse. Já o melhor filme é o do Tarantino, que fez uma parte de qualidade além do género (o Rodriguez salvou a coisa -leia-se tornar mais serie B- com os feitos que meteu para lá).

Nekas disse...

ArmPauloFerreira, eu escrevo isso na minha crítica, escrevo que Planeta Terror possui as características de cinema Grindhouse mas Death Proof, em qualidade, é muito melhor!

Abraço

thicarvalho disse...

Acho Planeta Terror uma grande homenagem aos filmes b. Na verdade, neste ponto, ele consegue ser brilhante. Agora, com relação aos filmes do gênero zumbis, ou semelhantes, o longa é apenas mais um... Bom trabalho, nada memorável, mas vale a pena assistir !!!

Nekas disse...

thicarvalho, concordo ao dizeres que é uma boa ovação aos filmes série-b, mas os tempos mudam e Planeta Terror que seria imensamente sucedido no tempo Grindhouse, hoje não é visto como mais um filme cliché...

Abraço