sexta-feira, 2 de abril de 2010

- Já vi: The Godfather (1972)

The Godfather – O Padrinho

Foi na passada segunda que assisti a um dos filmes que mais ansiava ver e que, finalmente, tive a oportunidade.

A história fala acerca de um família, Corleone, e do seu envolvimento no mundo do crime como, por exemplo, o jogo, e os problemas criados face à inovação para o mundo da droga.

O Padrinho é uma obra-prima. É violente e cru mas raios é um filme que retrata bastante bem o mundo do crime e todas as suas vertentes.

A banda sonora é esplendorosa, arrojada e muito bem adequada à época e à história.

De seguida, temos o argumento que foi baseado na obra de Mario Puzo.

The Godfather é um filme único pertencente a uma trilogia mas que possui cenas únicas neste primeiro episódio e uma delas é, indubitavelmente, a melhor interpretação do filme a cargo do Don da Família – Marlon Brando. Espectacular, sublime, só o som das palavras que profere e o facto que usou duas bolas de algodão na boca ficam a demonstrar a dedicação de Brando ao seu papel. Mas por outro lado temos outras boas interpretações tais como de Al Pacino, James Caan e Robery DuVall. Todos assumem papáis cruciais na família Corleone e os dois primeiros, filhos legítimos de Don, irão experimentar o poder mas apenas Pacino ficará nesse lugar e dará lugar ao seguimento da trilogia.

Na minha opinião, fiquei contente com o resultado, embora um pouco distante do que pensava que seria, O Padrinho resume-se como um excelente, talvez o melhor, retrato do crime da 7ª arte e veremos como se sai o seguimento também a cargo de Francis Ford Coppola…

A Frase: “I’m gonna make him a offer he can’t refuse”

 

Godfather_PK_3-RR-Xsm

5 comentários:

thicarvalho disse...

Belo filme sem dúvidas. Na minha opinião um dos melhores sobre o tema, memso achando que a continuação fopi ainda melhor. As atuações são realmente brilhantes, inclsuive as de Diane Keaton e Talia Shire, duas personagens que são melhores desenvolvidas no segundo filme. Além delas, Al Paccino dá um espetaculo assim como Brando. Enfim, grande obra. Abraço Nekas.

Visitem www.cinemaniac2008.blogspot.com

Nekas disse...

thicarvalho, realmente as interpretações são um mimo...
Agora que venha o segundo capítulo que tanto falam bem!

Abraço

Roberto F. A. Simões disse...

Francis Ford Coppola, magistral na arte de filmar e dotado de um inspirado virtuosismo clássico, serve-se da organização e das intrigas da sociedade do crime para conceber uma verdadeira epopeia sobre a família e sobre a evolução dos valores familiares ao longo do século XX.

Não é de todo o meu género de filme, mas não posso deixar de lhe reconhecer inegáveis qualidades.

Pessoalmente e apesar de tudo, gostei muito mais do 2º filme do que do primeiro. Espero agora pelo teu veredicto. ;)

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD – A Estrada do Cinema «

Roberto F. A. Simões disse...

Francis Ford Coppola, magistral na arte de filmar e dotado de um inspirado virtuosismo clássico, serve-se da organização e das intrigas da sociedade do crime para conceber uma verdadeira epopeia sobre a família e sobre a evolução dos valores familiares ao longo do século XX.

Não é de todo o meu género de filme, mas não posso deixar de lhe reconhecer inegáveis qualidades.

Pessoalmente e apesar de tudo, gostei muito mais do 2º filme do que do primeiro. Espero agora pelo teu veredicto. ;)

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD – A Estrada do Cinema «

Nekas disse...

Roberto, concordo!

Também me falam melhor do segundo capítulo, veremos em breve!

Abraço
Cinema as my World