sábado, 17 de abril de 2010

- Já vi: Eternal Sunshine of the spotless mind (2004)

eternal_sunshine_of_the_spotless_mind_ver4

Eternal Sunshine of the spotless mind – O Despertar da mente

Joel (Jim Carrey) é um homem que vive uma vida monótona, até que conhece Clementine (Kate Winslet), uma mulher impulsiva que muda a cor do cabelo várias vezes. Juntos irão viver uma relação, no entanto, ao acabarem a relação, ambos entram num processo de  “apagar” do cérebro as memórias que cada um vive com o outro. O problema é quando Joel, a meio do processo e insconsciente, luta para fugir do mapa das memórias a fim de guardar lembranças de Clementine.

Jim Carrey provou ser um óptimo actor com filmes como Man on the Moon ou The Truman Show. Carrey foi sempre um actor de comédia com os típicos gestos cómicos que entretém qualquer um e neste filme consegue, fascinantemente, ter a melhor interpretação da sua carreira, num filme com traços cómicos de Jim mas na sua essência, um filme de drama e da vida real com uma pitada de humor negro.

 

Como já referi anteriormente, Jim a par de Winslet provam as excelentes interpretações deste filme onde se juntam outros nomes sonantes e talentosos como Mark Ruffalo, Kirsten Dunst e Tom Wilkinson. A par das interpretações temos uma banda sonora bem-disposta e muito bem sincronizada.

 

Mas não é só à frente do ecrã que o filme se sobressai. A realização de Michel Gondry é arrojada e roça o fabuloso, por vezes. Por outro lado, temos o argumento que causa-nos o déjà-vù mas nunca nos deixa perder o fio à meada e nos demonstra o poder da 7ª arte.

As memórias são algo fabuloso. Desvanecem e consigo podem levar tristezas ou alegrias, lágrimas ou sorrisos, como, hipoteticamente, apagar alguém da nossa vida? A pergunta é solucionada neste filme, mas claro, na vida real, esse caminho para o esquecimento requer ainda mais trabalho e não há uma máquina que o faça por nós! Estará este filme a dizer que também nos iremos tornar tão dependentes de tecnologias que até para esquecer um amor perdido o faremos através de máquinas?

 

Em suma, todos os aspectos deste filme me “despertaram”! Um exemplo perfeito da 7ª arte onde nos presentei com um Jim Carrey num registo diferente, mas completamente extraordinário, por fim, temos uma temática interessante que nos dá a volta à cabeça e merece ser revisto…

A Frase: “Constantly talking isn’t necessarily communicating.”

3_eternalsunshineofthespotlessmindpic2

22 comentários:

Jackie Brown disse...

Já conheces a minha opinião sobre o filme. A faceta surrealista, preferida por muitos, é a que menos me agrada.

Abraço

Flávio Gonçalves disse...

É um filme muito bom, sem dúvida. Um tratado sobre a memória com a sua fusão com a lógica do sonho. Delicioso, no mínimo :)

Abraço

Nekas disse...

Rui, são também as minhas preferidas!

Flávio,concordo. E delicioso, no mínimo!

Abraços

João Bastos disse...

Grande filme... Neste filme parece que a dupla inverteu papeis, ou seja, quando normalmente é Carrey que faz papeis mais "doidos", aqui Winslet brilha nesse tipo. E quando normalmente é a actriz que faz papeis mais "dramáticos", aqui é o actor que brilha num registo mais pesado. GRANDES INTERPRETAÇÕES

Nekas disse...

João, a grande surpresa deste filme foi mesmo ver dois actores a interpretarem em registos diferentes do seu comum, mas nós todos sabemos que Winslet é uma boa actriz, agora Carrey teve neste filme a oportunidade de demonstrar isso mesmo!

Abraço

AlexSupertramp disse...

Um filme magnífico. Com duas enormes interpretações.

Abraço

thicarvalho disse...

Um dos meu filmes prediletos. Grande atuação de Carrey e Winlset, que por coincid~encia, tb são um dos meu atores favoritos. O seu texto realça bem o mais impt do filme, que é o fantástico. Gondry tb manda mto bem na direção, principalmente, pela diferença de estilos entre os dois. Grande abraço.

Visitem

www.cinemaniac2008.blogspot.com

Marcelo Pereira disse...

Penso que foi dito tudo. O Despertar da Mente é uma óptima proposta, repleta de imaginação e bom gosto.

Abraço!

Nekas disse...

lex, e não só!

thicarvalho, tudo dito! :)

Marcelo, mesmo muita imeginação!

Abraços

Hugo disse...

Este é um grande exemplo de que quando bem dirigido e com um bom roteiro, Carrey pode ser um ótimo ator.
Ótimo filme.

Abraço

Nekas disse...

Hugo, é verdade!

Abraço

Luis Galvão disse...

Eu também adoro esse filme. Acho que o roteiro inspirado dá 'pano para mangas' de Carrey - finalmente livre de caretas - e da espetacular Winslet.

Loot disse...

Adoro este filme.

E é das minhas prestações predilectas de Jim Carrey ele está fantástico. E depois tem a Kate Winslet que adoro.

Nekas disse...

Luis, nota-se traços de comédia que estão em plena sincronia com o drama, fabuloso!

Loot, Carrey está, realmente, a outro nível...

Abraços

dialogandocinema disse...

Película obrigatória!
Inova dentro do gênero sobre a amnésia!
É o primeiro filme a construir uma história a partir do fluxo subjetivo de imagens lúcidas e imagens inconscientes.
O Resultado é soberbo!
Vale a pena reassistir!

Nekas disse...

Dialogandocinema, só falta dizer que tem excelentes interpretações e, de resto, concordo contigo!

Abraço

FLAMES disse...

Ohh pá...não vale a pena...nós não somos capazes de gostar do filme (apesar da ideia e das brilhantes interpretações dos actores...) :) mas óptimo review ;)

Nekas disse...

Flamos, antes de mais, obrigado. Quanto ao filme, são gostos, assim como vocês aceitam a minha opinião eu aceito a vossa. :)

Abraço

Nuno disse...

Tem um elenco surpreendentemente bom, tem humor inteligente, tem drama, acção e muita originalidade. Dos meus favoritos.

Nekas disse...

Nuno, disseste tudo!

Abraço

Pereira disse...

Um dos melhores filmes da década ( apesar de preferir,também do Gondry,o "Science of Sleep"...) e uma das obras mais imaginativas que já vi.5*

Nekas disse...

Pereira, é mesmo um trabalho criativo e que merece destaque na década passada.

Abraço