sábado, 20 de março de 2010

- Já vi: 2046 (2004)

2046 movieposter

2046

Não sou fã de filmes asiáticos salve raras excepções. Foi com o intuito de modificar este paradigma que aceitei a proposta de vários blogs de renome da blogoesfera e juntei-me a Março e Wong Kar Wai.

Situamo-nos em Hong Kong em 1966. Um escritor (Tony Wai), escreve uma história passada em 2046 onde todas as pessoas vão lá com um único propósito – recuperar memórias perdidas. Mas afinal este futuro contado na história afinal foi passado onde (re)descobre a única mulher que amou que habitava na porta 2046 do hotel.

2046 é uma obra complexa, o seu fundamento, a sua história ou o seu simples não-final tornam esta obra não memorável mas de visualização obrigatória!

 

A realização é notável, a beleza, a paixão, o toque subtil mas marcante de Wong Kar Wai tornam esta obra notável em aspectos técnicos seja na realização já referida como nos belos enquadramentos/planos e a esplêndida fotografia. A banda sonora embora se torne repetitiva é bela espontânea!

2046 falha na história porque, na verdade, não tem uma história. Basicamente, são pedaços de histórias paralelas compiladas numa só. A constante procura do amor, dos encontros,simples passar do tempo ou o puro sexo.Mas 2046 resume-se na procura do Amor!

A frase:“As memórias são rastos de lágrimas”

 2046_2

separadorm

7 comentários:

Roberto F. A. Simões disse...

O filme é bem complexo. Estou curioso para saber o teu veredicto.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

bruno knott disse...

Faz tempo que ouço falar desse filme, mas nunca fui atrás de fato.

Vale a pena mesmo?!

Nekas disse...

Roberto e Bruno, vejam por vocês mesmo!

Abraço

Silvano Vianna disse...

[sobre seu comentário a cerca do filme O Livro de Eli]
Acontece meu caro amigo Nekas.
Mas faz parte, nem sempre concordaremos.
Acho que foi justamente a baixa expectativa que tive do filme que me fez gostar mais dele.

Nekas disse...

Silvano, talvez, eu ia com expectativas!

Abraço

ArmPauloFerreira disse...

Este filme para ter um impacto de maior interesse é ser visto somente depois de bem apreciado o "In The Mood for Love", o anterior do realizador onde nos apresenta o desejo de um amor impossível de ter.

2046 de certa forma revisita os fantasmas do anterior num desenrolar a roçar o surreal, a desconeção à lógica como se pudesse obter a redenção não pretendida. Não é um filme de se explicar ou de ser possivel de o considerar se é bom ou não (é inferior ao anterior é certo) mas visualmente pela forma como é tratada esta história acaba por ser marcante... um OVNI cinéfilo.

Nekas disse...

ArmPauloFerreira, é mesmo uma palavra para descrever 2046 - Ovni cinéfilo!

Agora tenho de ver In the mood for love!

Abraço