segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Já vi - Home Alone

Era óbvio que não poderia faltar na minha lista de filmes a ver no natal a famosa comédia Home Alone ou Sozinho em Casa.
Inicio esta crítica pelo o primeiro capítulo da saga, e como nas restantes, conta a história de um menino, Kevin (Macaulay Culkin), que,acidentalmente, é esquecido em casa quando a família parte para férias.
Assim, aparece um bando de dois ladrões, Harry(Joe Pesci) e Marv, que tentam assaltar as casas da vizinhança(já que é época de Natal) inclusive a de Kevin. Mas Kevin irá ripostar através de inúmeras e (ir)reais armadilhas e partilhas deixando os ladrões K.O.(literalmente).




A sequela continuou, e aparecer Home Alone 2, desprovido de criatividade mas mesmo assim, talvez, o meu preferido.
É novamente altura de férias e, desta vez Kevin embarca com a família, mas embarca no avião errado trocando o destino de férias que era, supostamente, Califórnia, pela cidade que nunca dorme, Nova Iorque.
Kevin terá que enfrentar uma nova cidade sozinho, e a acrescentar (re)aparecem os ladrões do costume, Harry e Marv, agora não com o objectivo de roubar a casa de Kevin, até porque este está numa casa abandonada, mas sim ajustar contas com este pois ele fez com que eles fossem capturados pelas autoridades.





Home Alone 3, já sem a magia que os dois primeiros transportaram, trouxe um novo "traquinas", uma nova cidade, Chicago, e uma nova história.
Alex Linz, um pequeno rapaz, vê-se "enjaulado" em casa durante a época Natalícia devido à varicela.
Alex, antes de estar doente, recebeu uma prenda, um carro comandado devido à ajuda que prestou a uma vizinha. Esse carro proveio de um engano no aeroporto em que o carro veio parar às mãos dessa velha senhora, assim, ela decidiu-o oferecer a Alex mas, ambos não sabiam o que o carro escondia. Este, pertencia a um grupo de ladrões profissionais que esconderam um chip dentro desse carro ao qual necessitavam rapidamente deste. 
Assim, este grupo de ladrões liderado por Olek Krupa vai tentar reaver o chip o mais violentamente e rapidamente possível.


Porquê mencionar o 4?
Porquê?
Eu não aconselho nada o visionamente desta fita.
Falta de criatividade. Falta de coesão. Falta...falta tudo para ser um filme de natal. Falta tudo para ser um filme. Home Alone 4 é, apenas, uma sequência de descreativo trabalho e de cenas gravadas por uma câmara. Não vejam...
É como no poster, um susto!














5 comentários:

Gema disse...

Eu só gostei dos dis 1ºs :P A partir do 3º desisti e nem sequer vi o 4º.
De todos o que gostei mais foi do 2 (nao sei se foi por ter ido ver ao cinema).
Bjs

João Bastos disse...

Claro que os dois primeiros filmes são para mim intemporais. Magia de natal. São filmes obrigatórios nesta quadra natalícia!

Nekas disse...

Gema, eu até gostei do 2º contudo não tinha a magia dos dois primeiros...

O sendo também é, provavelmente, o meu preferido...

João Bastos, os dois primeiros são obrigatórios nesta quadra natalícia...

Abraços

Jackson disse...

Além do valor natalício e familiar, esta saga é muito bom. Cada filme singularmente é bem fraco, nem a mim me entretém...

Abraço

Nekas disse...

Jackson, sim enquadram-se especificamente nesta quadra natalícia...

Abraço